sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Por que Deus criou as estrelas?



Contemplando as estrelas, comecei a refletir sobre o porquê da criação das mesmas.
Antes de chegar a uma resposta, penso que devemos descobrir o que simboliza a noite. Creio que Deus, no momento da criação, não criou um momento de trevas e escuridão, pelo acaso, cujo nome dado foi Noite. Esta, muitas vezes, representa a vida do ser humano, cheia de trevas (trevas aqui entendido como mistério). Porém, Deus, que é amor, não poderia deixar a humanidade viver em trevas e mais trevas, por isso deu origem à lua e às estrelas, para que o ser humano soubesse que Ele e as pessoas boas iriam lutar para que as trevas da vida humana diminuíssem.
Chegamos ao porquê da noite, e pode-se concluir a seguinte resposta: Deus criou a noite para que o homem pudesse ver sua vida. Pois bem, agora voltemos à questão inicial.
Deus criou as estrelas para que víssemos que, mesmo na escuridão, existem brilhos radiantes se fazendo presentes, tais brilhos são as pessoas que chamamos de amigos, eles vivem a encantar as nossas vidas, sempre estão presentes. Podemos acreditar na existência de muitos que nos querem mal. Entretanto, vejo-os como sendo as grandes fendas sombrias que existem entre as constelações, se bem que até mesmo dentro delas existem distâncias escuras. Destaco que as estrelas não nos desejam mal, mas pode ser que existam, ao redor desses pontos luminosos, escuridões cujo objetivo é nos fazer ver as estrelas como trevas, mas devemos sempre ver o brilho do astro e não a escuridão que o rodeia.
É costume que toda criança escolha uma estrela para si. Nós também, na noite de nossa vida, escolhemos vários astros, os quais ficarão conosco e sempre os veremos com destaque, pois aprendemos como as crianças, a localizá-los rapidamente no vasto céu estrelado. Mesmo na multiplicidade das constelações podemos ver as escolhidas, que em nossa vida iremos chamá-las de melhores amigos, ou até mesmo irmãos; ousando ainda mais, anjos.
As estrelas fazem-nos lembrar dos amigos, de pessoas que amamos, dos seres que por um motivo ou outro se tornaram especiais em nosso destino. Gostaria de ressaltar, que em muitos casos, algumas estrelas nos decepcionam. Ao fazerem isso, nós passamos a deixá-las e torcer para que desapareçam. É interessante, pois quanto mais esse desejo aparece em nossos corações, mais ainda essas estrelas são vistas por nós. Pois são nesses momentos que vemos quão importantes e especiais eram para nossa vida.
As estrelas são realmente misteriosas, porém o Rei e Revelador de todos os mistérios as fez para que observássemos o quanto existem pessoas radiantes em nossas vidas. Mas, onde Ele está na noite de nossa vida? Qual o símbolo que ele escolheu?
Acredito que Deus esteja representado na lua, Ele é aquele que as estrelas de nossa vida adoram, por seu brilho esplendoroso, por sua majestosa presença e por sua magnificência. Lembro-me, nesse momento, do Deus da ressurreição ou do Deus do monte Tabor no dia da Transfiguração, o qual brilhava como sol e suas vestes eram brancas como nenhuma lavadeira poderia alvejar. Mas a questão é: como um céu de trevas pode conter todo o brilho e perfeição existentes, que é Deus, na lua?
Responderia que nem mesmo a terra toda seria capaz de contê-lO, nem mesmo o infinito seria capaz disso. Entretanto, Ele, em todo seu amor, se fez pequeno e simples, humano e finito, para salvar a humanidade e concedê-la a graça de tê-lO como seu maior exemplo de vida. Por que não poderia aceitar ser simbolizado no mais luminoso astro que há no céu à noite?
Mas os questionamentos não acabam. Você, além disso, poderia dizer: “mas o que significam as fases da lua? Será que Deus muda em nossa vida?”
Deus não muda, Ele é único, imutável e perfeito. Nós também ao contemplarmos Deus como a lua na noite, devemos estar cientes de que a lua não está mudando, é nossa visão da lua que muda. Assim também é em nossas vidas.
Acredito existir fases em nossas vidas que acreditamos que Deus não está presente, que Ele se afastou de nós. Essa fase se chamaria lua nova, é quando a escuridão tenta tampar completamente a presença de Deus em nossa vida, mas se olharmos bem poderemos ver que o brilho da lua continua firme e sem ocaso atrás daquela escuridão medíocre e fraca. Devo lembrá-los de que Deus, nessa fase, faz com que lembremos da presença importante de nossos amigos, assim como as estrelas se destacam na tentativa da treva de cobrir a lua.
Há também as etapas de nossa vida em que desejamos ver Deus apenas sob um perfil, ou seja, desejamos ver Deus não tal e qual Ele é, mas sob nosso pensar de como Ele deveria ser. Essa etapa é marcada por nossa vontade de ter um Deus bajulador, que nos faça o que desejamos, ou um Deus cruel que irá se vingar por nós. Essas fases, em nossa contemplação da noite, são quando a lua se encontra sob a fase minguante ou crescente.
Pode-se chamar a fase minguante dos momentos em que desejamos Deus como alguém que irá ser cruel, irá minguar os ganhos da outra pessoa. A fase crescente pode ser comparada aos momentos em que desejamos o Ser divino como o um pai irresponsável, cuja função é só atender aos pedidos dos filhos, sem ver que pode estar dando coisas exageradas e realizando desejos fúteis.
Finalmente, a fase, a meu ver mais bela, é a cheia. Essa fase é marcada pelo brilho constante da lua, ela fica majestosa, seu encanto é forte, as trevas ficam fracas. Podemos observar as estrelas como se fazem pequenas e se colocam humildes venerando o astro mais forte do céu. Assim devem ser nossas vidas, devemos desejar que Deus seja o constante brilho e força a nos guiar, Ele será a luz de prestígio inigualável que aclara as nossas escuridões.
Pode ser que você esteja se questionando: “mas mesmo a lua sendo cheia, existem momentos em que as nuvens obstruem-na e às estrelas, por quê?” Posso colocar essa etapa da vida como aquele momento em que alguém tenta interromper nosso convívio com os amigos e Deus, criando nuvens nebulosas para nos afastar deles. Mas, nosso júbilo deve ser que, mesmo essas nuvens sendo densas, se desfarão em chuva que faz crescer as árvores e frutos. Além disso, poderemos ver as estrelas e a lua com mais amor, pois estávamos com saudades. Nas nossas vidas, os que tentam nos afastar de nossos amigos e Deus, fazem com que nossa amizade cresça mais ainda por estes e nossa alegria vai ser mais completa ao vermos nossos amigos e declararmos nosso amor a Deus e aos próximos.
Mostrei-lhe como contemplo na noite a presença do Ser Divino. Louvo a Deus por ter a oportunidade de vê-lO onde tudo parece trevas, escuridão e incerteza, pois nessas ocasiões lembro-me da força encontrada nos momentos de fraqueza.


A diferença não exclui a pessoa do grupo;
a faz, sim, ser única e especial.
Portanto, não seja diferente, mas sim a diferença.



Jackson de Sousa Braga.
Mariana ( texto escrito no dia 16, 17 e 24 de fevereiro de 2009), 13 de março de 2009

4 comentários:

Grupo de Jovens Shadai disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Grupo de Jovens Shadai disse...

Oi moço!! seu texto esta coprtilhado em nosso blog!! rsrs Tenha certeza de que és uma estrela em nossas vidas!!!! bjinhos

Cínthia disse...

Seu texto é lindo, se aplicou totalmente a minha vida.
Vc é uma de minhas estrelas, um amigo que o tempo não tirou.
Que as estrelas de sua vida sejam sempre radiantes.
Bjus

lunara disse...

Lindo , lindo, lindo o seu texto. O que eu mais gosto. Você é estrela na vida de muitas pessoas, inclusive na minha.
Bjuu